Senso moral e consciência moral

21 de abril de 2010

Nos dias de hoje, é cada vez mais comum vermos pela televisão e até mesmo ao vivo, crianças pedindo esmolas, assassinato  de seres humanos e animais, pessoas se drogando na rua sem o menor medo de serem punidas, adolescentes grávidas, políticos corrúptos, enfim, as cenas e os atos que antigamente “quase” não existiam, estão se tornando frequentes diante dos nossos olhos.

Mas o que fazer quando, por exemplo, uma criança vier pedir esmolas? Dar, não dar?? Existe hoje nas grandes cidades o que se chama de mendigo profissional, mães de ruas, crianças que fazem  da esmola, um “negócio”. Há quem diga, que quem dá esmola, é hipócrita, por que a fome, só é saciada naquele momento, mas, e nos outros dias? E se ninguém ajudar? Daí começamos a enteder o por que uma pessoa de bem, passa a roubar, a matar. Mas será que é isso realmente que eles querem? Será que se houvesse mais empregos, chance de educação, moradia, os números de criminalidade e de pessoas “pedindo” não seriam bem menor?

Infelizmente, o governo e nós mesmos, não damos chance para que isso aconteça, e então, o caminho da criminalidade acaba se tornando o mais viável.

Nenhuma situação de desigualdade vai mudar se a nossa consciência e a consciência dos nossos governantes, não mudar. O que realmente está faltando, é uma boa administração do nosso país, pessoas competentes e com idéias novas que não tenham medo de lutar por um país melhor e mais justo. Por outro lado, culpar somente o governo, é muito fácil, difícil mesmo é admitir, que a sociedade também tem culpa nisso tudo, por que tudo isso, é reflexo da sociedade contruída por nós mesmos.

Luana Bíscaro – 3º semestre de Administração


Auditoria Contábil

19 de abril de 2010

Auditoria è uma função que busca a priorização da qualidade dos processos e a melhoria dos resultados da empresa, é uma avaliação sistemática dos procedimentos, praticas e rotinas internas de uma entidade e de suas demonstrações contábeis.

O principal objetivo da auditoria é estudar o patrimônio da entidade e principalmente o seu controle, suas informações e variações, é um importante instrumento na prevenção e combate a erros e fraudes nas organizações, sua função é diminuir ou até eliminar a pratica desses delitos.

ORIGEM DA AUDITORIA

A pratica da auditoria surgiu na Itália em meados do séc. XV ou XVI, seu desempenho era bastante limitado e se restringia apenas na verificação dos registros contábeis que visavam à comprovação de que eles eram exatos.

EXISTEM DOIS TIPOS DE AUDITORIA:

-ORDINÁRIA
-ESPECIAIS E OU EXTRAORDINÁRIAS

As ordinárias são periódicas e previamente programadas, já as auditorias especiais e ou extraordinárias são feitas para apurar denuncias, indícios de irregularidades administrativas mediante solicitação de entidades legitimas e autorizada por autoridades competentes.

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS SUJEITAS A AUDITORIA:

*Balanço patrimonial
*Demonstração do Resultado de Exercício
*Demonstração das mutações do Patrimônio Liquido
*Demonstrações das Origens e Aplicações de Recursos
*Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis.

Auditoria contábil se desenvolve a partir de informações seguras, transparentes e relevantes para o desenvolvimento das atividades empresariais, deixando essas informações de forma clara para quem as for usar.

A principal função da Auditoria Contábil é demonstrar uma opinião clara e imparcial sobre as demonstrações contábeis de uma empresa, seu objetivo é mostrar para a entidade o melhor custo beneficio para o seu negócio.

ALÉM DE UMA TÉCNICA CONTÁBIL, A AUDITORIA TAMBÉM PODE SER ENTENDIDA COMO UM RAMO DA CONTABILIDADE.

BIBLIOGRAFIA:
WWW.AUDIPER.COM
WWW.WIKIPEDIA.ORG
WWW.NETCONTROLLERS.COM.BR
WWW.CODEBA.COM.BR

LARISSA CANIÇARE PEREIRA
TERCEIRO SEMESTRE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS
FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE PENÁPOLIS.


Networking faz a diferença

17 de abril de 2010

Quantas vezes você já ouviu a seguinte frase: “Fulano só entrou naquela empresa na base do QI” (quem indica). Para entrar no mercado de trabalho atual, é necessário muito mais que habilidades técnicas, nossa rede de relacionamento deve estar sempre em ascensão, podemos construir horizontalmente uma linha, nos fortalecendo com nossos semelhantes, ou seja, com aqueles que estão no nosso nível. Verticalmente devemos usar essa habilidade com pessoal a cima do nosso nível, em cargos mais elevados. Ainda verticalmente não podemos nos esquecer de pessoas que estão a baixo, pois estes podem conhecer pessoas influentes e nos indicar a qualquer momento.

Devemos ter cuidado para não nos lembrar dos contatos apenas quando se precisa de algum favor, o cuidado existe para que o profissional não seja visto como aproveitador, “não siga o exemplo dos políticos que só abraçam crianças em época de eleição”

O Networking acontece durante o trabalho, no dia-a-dia, nos eventos sociais, para isso é necessário evidentemente a simpatia, educação, presença de espirito, humildade, cordialidade, dentre muitos outros. Assim seremos sempre lembrados, porém tem que haver uma manutenção desse contato, ligações, mensagens, convites, etc.

Portanto quando ouvir falar de alguém que entrou em uma grande empresa por meio de QI,

você já sabe que este profissional tem seus méritos, conhece pessoas, estabeleceu um elo com seus contatos. O networking além de trazer benefícios a todos que praticam, proporciona bem estar também aos que estão envolvidos .

Fonte:  http://portalexame.abril.com.br/revista/exame/edicoes/0884/gestaoepessoas/m0121207.html

Gustavo Siqueira Costa

3° Semestre Administração – Funepe


A Era da Tecnologia

17 de abril de 2010

As empresas cada dia mais vem apostando e investindo seu material de marketing e divulgações de seus produtos através de redes sociais utilizando dessa estratégia para atingir diretamente seu publico alvo.

Empresas como a Ambev,comercio de bebidas passou a criar filmes engraçados em sites de compartilhamento na intenção de atingir o publico de 18 a 35 anos,a resposta foi prontamente rápida,mais de 400.000 acessos só no primeiro dia.

As experiências vêm sendo satisfatórias por isso grandes empresas vem adotando esse método e criando departamentos focados apenas nesse publico alvo, buscando sempre aprimorar e investir em tecnologia para interagir com seus clientes.

Segundo uma pesquisa realizada na universidade Duke, dos Estados Unidos revela que atualmente 10% do orçamento em Marketing das empresas são direcionados as redes sociais. A tendência é daqui cinco anos esse numero aumentar.

Pedro Resende, fundador de uma agencia focada nas redes sociais afirma que as empresas que ficarem de fora desse ambiente podem estar prevalecendo estratégias arriscadas para seus ramos de atuações, até porque mais de 70% das 100 maiores marcas do mundo utilizam desse tipo de serviço.

Um exemplo bem bacana de um retorno financeiro utilizando a internet como meio de divulgação é o caso da Starbucks. Depois de centenas de lojas fechadas nos Estados Unidos, a empresa viu como ponto estratégico a criação de um Facebbok,para que os clientes pudessem opinar sobre a marca abertamente.O resultado não poderia deixar de ser satisfatório,não só aumentando as vendas como  também melhorando a imagem da empresa.

Essa tática de relacionamento aberto facilita com que os consumidores transmitam suas criticas, sugestões e melhorias e as empresas devolvem como faadback para seus consumidores à vontade e a disposição de resolver os problemas apresentados pelos mesmos.

Interessante que empresas que se propõe em investir nesse departamento de rede sociais celebram rapidamente o retorno esperado que é não só a satisfação do cliente como também a credibilidade.Exemplo do Grupo Pão de Açúcar que utiliza o papel de ouvidoria através das redes sociais,facilitando o cliente para que não fique horas no telefone com uma atendente reclamando de um produto ou algo que não lhe agradou,e de uma forma mais dinâmica.

A parte melhor dessa estratégia de investimento é que o custo para publicações nas redes sociais é muito mais acessível para pequenas e medias empresas que geralmente não utilizam tantos anúncios publicitários por serem caríssimos. Os vídeos, as propagandas podem ser simples, desde que seja criativa, a empresa já estará lucrando com isso. Há também a questão do tempo maior em que os consumidores passam na frente de um computador do que uma TV, já que o computador fornece varias ferramentas não somente de trabalho, informação como também de lazer.

Fonte: http://veja.abril.com.br/310310/desafio-grandes-empresas-p-108.shtml

Thaiz Pereira Silva

3° Semestre Administração – FUNEPE


A evolução da administração

17 de abril de 2010

O surgimento da administração foi devido a evolução e idéias durante o passar dos tempos, a muitos séculos atrás por volta de 5000 a.C. na Somaria,quando os antigos habitantes procuravam uma melhor maneira para resolver as coisas .O Egito também planejou e dimensionou um sistema econômico a ser operalizado pela administração, em seguida a China também usou o recurso administrativo em seu império.

Na evolução da administração duas instituições destacaram-se: a Igreja Católica e as Organizações Militares. A Igreja Católica através de séculos vem mostrando e provando a força de atração de seus objetivos, espalhando-se e exercendo influencia sobre o comportamento de seus fieis. As Organizações militares se destacam pela hierarquia de poder rígida e de adoção de princípios e praticas usadas atualmente nas empresas.

A Revolução Industrial com a invenção da maquina a vapor provocou como conseqüência que se surgisse a moderna administração. No inicio do século XX-FREDERICK W.TAYLOR apresentou a administração cientifica, que adotava a pratica da divisão do trabalho e a máxima produção com o menor custo.

Logo em seguida, HENRI FAYOL desenvolveu a Administração Clássica que estudava a empresa privilegiando as tarefas da organização.

A partir de 1940 ELTON GEORGE MAYO criou a Teoria das Relações Humanas com ênfase concentrado nas pessoas na tentativa de humanizar e democratizar a administração.

Em 1950 foi desenvolvida a Teoria Estruturalista, preocupando-se a integrar a Teoria Clássica e a Teoria das Relações Humanas incompatíveis entre si, tornou necessária uma posição mais ampla e compreensiva que integrasse os aspectos considerados por uma e omitidos pela outra, assim deu ao inicio a Teoria da Burocracia de MAX WEBER, que se baseia na racionalidade para obter a melhor eficiência.

Desenvolvida a partir de 1970 a Teoria de Sistemas passou a abordar um sistema aberto em integração com o meio em que a envolve e a interrelação entre eles.

A Teoria da Contingência se desenvolveu no final da década de 1970, para ela a empresa e sua administração são variáveis dependentes do que ocorre no ambiente externo, o chamado fator externo.

Claro que todas as teorias citadas acima foram e serão essenciais para a base da administração, mas com as empresas ficando cada vez mais complexas cabe a nos evoluir e atender as necessidades das mesmas.

Wilson F.Rossato Duarte

3° semestre administração – FUNEPE

Fonte:

http://www.administraçãoempresas.blogspot.com

www. recantodasletras.uol.com.br

http://www.portaldomarketig.com.br


A Administração Estratégica e sua visão na Atualidade

14 de abril de 2010

A ideia de administrar uma organização de maneira estratégica foi defendida inicialmente nos anos 50, onde a partir de então esse processo de integração entre empresa e seu ambiente vem dia após dia ganhando espaço.

A estratégia vem a ser a definição do caminho mais adequado pra alcançar o objetivo ou missão buscados pela empresa em um determinado período de tempo. Para tanto é necessário antes de qualquer coisa um diagnóstico empresarial onde se possa analisar e verificar a posição atual em que a empresa se encontra.

Assim ao iniciar-se a formulação de uma estratégica empresarial, o primeiro passo será o fator ambiente, onde se analisara o ambiente externo e interno seus riscos e oportunidades, assim será determinada a meta organizacional e a sua formulação estratégica mais adequada que leve a realização dos objetivos organizacionais. Finalizando essa etapa inicia-se o processo de implantação e monitoramento estratégico, processo que geralmente será concluído em longo prazo dependendo do objetivo estratégico, ou seguindo a visão atual não seje encerrado, mais evolua à medida que a organização alcance seus objetivos e maximize seus lucros.

             A evolução global, onde não existem mais distâncias nem barreiras faz com que a estratégia seje a ferramenta primordial para o crescimento organizacional. Bem estruturada suas bases focam na clara visão do negócio, levando o funcionário ao comprometimento na busca pelas metas, aumentando a comunicação interna entre as pessoas e minimizando os efeitos de mudanças adversas. Assim o funcionário ganha maior participação na empresa ajudando na resolução de problemas e a organização ganha uma vantagem sobre as demais concorrentes.

Outro fator estratégico que atualmente vem ganhando destaque são os caminhos buscados pelas empresas para atingir seus objetivos. A análise de mercado busca agora não só o foco no seu ramo empresarial, mas se movimenta em torno de assuntos que digam respeito ao mundo de forma geral, já que ao analisar os níveis de crescimento da economia e do setor em particular pesquisado geralmente estão relacionados assuntos de âmbito global, como os problemas ambientais ligados a responsabilidade social e ao desenvolvimento sustentável, ou na forma do marketing como patrocínios em eventos, esportivos ou causas sociais de nível mundial. Essa visão estratégica voltada para sociedade ganha maior destaque e são tendências cada vez mais utilizadas, pois além de estarem associadas a ações positivas acabam influenciando o consumidor de certa maneira na hora da escolha de qual produto ou serviço adquirir.

                Portanto a estratégia atualmente esta diretamente ligada ao deslocamento global, mostrando que a sua evolução e o seu sucesso estão ligados ao dinamismo e a flexibilidade das organizações em buscarem o crescimento e ao mesmo tempo serem vistas como empresas com forte apelo social.

Fontes Bibliográficas:

 

  • Revista Exame – edição 961 / Onde investir em 2010;
  • Livro: Planejamento Estratégico – Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira;
  • Livro: Administração Estratégica – Samuel C. Certo e J. Paul Peter

 

Renata Domingues Nogueira


Sustentabilidade Empresarial

13 de abril de 2010

Desde a Revolução Industrial as empresas exploram todo nosso ambiente em busca de combustíveis fosseis para usar como matéria-prima e na maioria das vezes como energia para suas indústrias, mas o nosso mundo esta mudando .Foram registrados terremotos, tsunamis, furacões, elevações e quedas de temperaturas constantes. Os nossos atos estão prejudicando a nossa própria estadia nesse mundo, estamos nos matando e os maiores responsáveis são as indústrias que exploram nosso meio-ambiente em troca de energia sem se importar com o bem estar de nosso planeta.
Foi criado um ideal diferente nas empresas, um ideal para que os estragos ao meio-ambiente diminuíssem, ele é chamado de “Sustentabilidade Empresarial” . As empresas estão adotando essa ideia, muitas estão trocando materiais que prejudicam o nosso ambiente por outros politicamente corretos. Esse ideal não vai ajudar significantemente o processo de frear a poluição, é mais uma campanha publicitária para aumentar a venda de seus respectivos produtos e para diminuir a cobrança dos consumidores por serem os principais responsáveis pela exploração do mundo, é uma bela tática publicitária. Mesmo sendo uma tática publicitária o mundo agradece a isso. É um ideal visando o lucro e o crescimento das empresas, mas diferente de antes, esse é um capital politicamente correto.
Realmente o mercado está abarrotado de empresas que se dizem sustentáveis, ou preocupadas com o meio ambiente pura e simplesmente por uma jogada de marketing, pois creio que quanto mais informações pudermos passar as pessoas sobre o que é sustentabilidade, sobre o seu conceito, melhor elas entenderão este processo e terão mais argumentos para analisar uma empresa que se diz sustentável. Poderão passar a aplicá-la em seu cotidiano influenciando assim seus amigos vizinhos parentes consequentemente difundindo a informação.

Fonte :http://www.atitudessustentaveis.com.br

Jéssica Marcela Bento Soares
3° Semestre Administração de Empresas – FUNEPE